Instituto Superior Técnico

 

É necessário compreender a diversidade espacial contituinte do Campus da Alameda do Instituto Superior Técnico e a sua interdependência para poder identificarl o papel dos Espaços de Aprendizagem Informal na globalidade do Campus.

Procedeu-se à inventariação dos espaços construidos interiores que constituem o Instituto Superior Técnico

CATEGORIZAÇÃO

 

 

ABORDAGEM GERAL

 

 

DISTRIBUIÇÃO DOS ESPAÇOS DE APRENDIZAGEM

Os espaços foram categorizados em quatro categorias: trabalhar/estudar, viver, suporte e espaços não acessiveis para observação.Em trabalhar/estudar foram ainda definidas subcategorias que caracterizam mais detalhadamente a natureza dos espaços. Esta sistematização basei-a-se nodesempenhol social e funcional do espaço para os utilizadores alunos e docentes e baseia-se em....

Foram contabilizados os espaços segundo o seu número e área. A identificação do número de espaços para cada categoria corresponde à imagem mental do campus para um utilizador (baseia-se na teoria da Sintaxe Espacial - Hillier e Hanson, 1984). A relação entre a área útil ocupada por cada categoria pemite conhecer em quais tipos de espaço é efectuado um maior investimento (tanto quanto à área bruta de construção, como em termos de manutenção).

Numa perspectiva geral a imagem do campus é dominada pela existência de espaços de Trabalho/Estudo, o que também se verifica na ocupação de superficie. Já os espaços sociais (Viver) ocupam uma pequena percentagem na imagem espacial do Campus, mas proporcionalmente mais elevada ao nível da ocupação da superficie construida.

Dos espaços categorizados anteriormente foram identificados quais sao espaços de aprendizagem informal. Verificou-se que amaioria dos espaços/ área útil não corresponde sequer a espaços de aprendizagem.

Existem alguns espaços de circulação que pela sua localização no sistema e infraestruturação funcionam como espaços de aprendizagem informal.

A maioria dos espaços de aprendizagem informal são espaços destinados à socialização.

Posteriormente, os espaços de aprendizagem informal foram caracterizados de acordo com as suas exigências funcionais.

As exigências funcionais consideram parâmetros como: áreas, geometria, localização dos acessos e das janelas, a disponibilidade de wireless, layout de equipamentos entre outros.

As exigências espaciais são baseadas na identificação das propriedades de configuração de espaço para cada espaço informal de aprendizagem estudado.

A análise das propriedades configuracionais será baseada na metodologia de Sintaxe Espacial (Hillier e Hanson, 1984) através da produção de modelos sintácticos do campus e do Pavilhão DeCivil e Arquitectura. As ferramentas de sintaxe espacial - análise do gráfico de visibilidade (AGV) e gráficos justificados (GJ) - irão identificar as propriedades configurativas. AGV permitirá analisar a estrutura espacial da C_KnSc explorando os padrões de co-visibilidade e co-acessibilidade. GJ permitirá compreender a relação entre os espaços no que diz respeito à composição ou a estrutura do layout espacial.

01 Pavilhão Central

02 Pavilhão de Civil e Arquitectura

03 Pavilhão do Jardim Norte

04 Pavilhão de Mecânica I

05 Torre Norte

06 Pavilhão de Electricidade

07 Pavilhão de Informática II

08 Pavilhão de Mecânica IV

09 Pavilhão de Informática I

10 Pavilhão de Informática III

11 Pavilhão de Mecânica II

12 Pavilhão de Mecânica III

13 Cantina

14 Pavilhão da Associação de Estudantes

15 Campo de Jogos

16 Piscina

17 Pavilhão de Acção Social

18 Secção de Folhas

19 Pavilhão de Minas

20 Torre Sul

21 Pavilhão de Química

22 Pavilhão do Jardim Sul

23 Infantário

24 Pavilhão de Matemática

25 Pavilhão de Física

26 Complexo Interdisciplinar